segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

REGULAMENTO DA COPA TANGARÁ DE FUTEBOL DE CAMPO



REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO

CAPÍTULO I  DA DISPOSIÇÃO PRELIMINAR
ARTIGO 1º: A COPA TANGARÁ, tem por objetivo principal a integração, a harmonia, a descontração física e mental e a socialização entre os desportistas em geral, envolvidos direto e indiretamente na competição.

ARTIGO 2º: As equipes disputantes deverão ser conhecedoras da legislação vigente, das regras do futebol, dos códigos desportivos e do regulamento específico da competição no que diz respeito seus direitos e deveres.

ARTIGO 3º: A competição será realizada de acordo com as leis e normas desportivas, salvo algumas adaptações constantes neste regulamento. A equipe que confirmar a inscrição estará aceitando em sua totalidade as normas e o regulamento da competição.
CAPÍTULO II  DA ORGANIZAÇÃO, DIREÇÃO E DO TEMPO DE JOGO
ARTIGO 4º: A promoção do evento será das equipes participantes, sendo a mesma organizada por Lula Silva, que cumprirá e fará cumprir este regulamento e as leis desportivas.

ARTIGO 5º: Os jogos serão realizados nos dias e horários marcados em tabela divulgada pela organização do evento, com tolerância máxima de 15 minutos para o horário determinado apenas para o primeiro jogo (Juvenil). 

§ ÚNICO: Em caso de ultrapassar o limite de tempo máximo permitido a equipe infratora perderá por WxO, o placar será de 1x0 para a equipe vencedora, com o gol contabilizado para efeito de saldo e os 03 pontos computados como vitória.

ARTIGO 6º: Cada partida terá duração de 80 minutos divididos em dois tempos de 40 minutos cada com intervalo entre os tempos de 10 minutos. Os acréscimos ficam por conta do árbitro central do jogo.
CAPÍTULO III  DA INSCRIÇÃO DE EQUIPES E ATLETAS
ARTIGO 7º: As inscrições para a competição é aberta para qualquer equipe do município de Tangará-RN. Cada equipe deverá pagar até o seu primeiro jogo o valor liquido de R$ 100,00 (cem reais) a organização do evento.

ARTIGO 8º: Cada equipe poderá inscrever um número máximo de 30 (trinta) atletas por categoria durante a competição, podendo a mesma ser completada no preenchimento da súmula no jogo final.  

ARTIGO 9º Na categoria juvenil a inscrição é liberada apenas para atletas do município tangaraense, na categoria titular poderão ser inscritos até cinco atletas fixos de outro município, após a inscrição em súmula não poderão ser substituído na ficha de inscrição..

ARTIGO 10º: Itens que identifica o atleta do município:
A) For natural do município;
B) Contenha documento oficial que comprove vínculo com o município;
C) More ou trabalhe a no mínimo 06 meses no município com comprovante de contrato ou carteira de trabalho. 

ARTIGO 11º: Após ser relacionado em súmula, mesmo que não atue na partida o mesmo não poderá atuar por outra equipe. (depois de relacionado o atleta não poderá ser substituído na ficha de inscrição). Qualquer atleta uma vez relacionado em súmula, poderá se incorporar ao banco de reservas, mesmo no desenrolar da partida.
CAPÍTULO IV DA FORMA DE DISPUTA
ARTIGO 12º: A COPA TANGARÁ, será disputada por 06 equipes divididas em 02 grupos, que foram divididas em suas respectivas chaves através de sorteio, realizado no congresso técnico realizado na Câmara Municipal no dia 28 de novembro de 2016. 

ARTIGO 13º: A competição será realizada em três fases:
A) 1ª Fase    (classificatória)
B) 3ª Fase      (Semi finais)
C) 4ª Fase           (final)

ARTIGO 14º: Na 1ª fase as equipes jogam entre si dentro do próprio grupo em turno único, classificando-se para a fase seguinte os dois (02) primeiros de cada grupo para a fase seguinte da competição. Na fase semifinal haverá o cruzamento olímpico (1ºA X 2ºB, e 1ºB X 2ºA), os vencedores desses confrontos farão a grande final.

ARTIGO 15º: Os critérios de desempate para a 1ª fase obedecerão à seguinte ordem:
A)    Maior número de vitórias;
B)     Confronto direto (no caso de 02 equipes);
C)     Melhor saldo de gols;
D)    Maior número de gols marcados; 
E)     Menor número de cartões vermelhos recebidos;
F)      Menor número de cartões amarelos recebidos;
G)    Sorteio.

ARTIGO 16º: Caso alguma partida das fases eliminatórias (a partir da 2ª fase) termine empatada o classificado será conhecido através de cobranças penais, conforme a regra nacional da CBF.
CAPÍTULO V DAS APENAÇÕES
ARTIGO 17º: Estará automaticamente suspenso o atleta que durante a competição venha a receber 02 cartões amarelos ou 01 vermelho.

ARTIGO 18º: Os cartões amarelos que não enseje suspensão automática serão zerados ao término da 1ª fase.

ARTIGO 19º: Se o mesmo atleta em determinado momento da competição, acumular 02 cartões amarelos e mais 01 vermelho, cumprirá automaticamente a suspensão por dois jogos.

ARTIGO 20º: A suspensão automática será considerada cumprida quando da desistência (WxO) ou eliminação do adversário seguinte.

ARTIGO 21º: A equipe que utilizar atleta irregular na partida estará sujeito a perda de pontos para a equipe adversária em que a anormalidade ocorreu, sendo mantido o placar em caso de derrota e utilizado o placar de WxO (1x0), em caso de empate ou vitória da equipe infratora.

ARTIGO 22º: Se nenhuma das duas equipes possuírem o número mínimo legal de atletas para continuidade da partida, as duas serão consideradas perdedoras e nenhum ponto será atribuído as mesmas. O número mínimo de atletas por equipe para iniciar o jogo é de 7 atletas. Um deles obrigatoriamente terá que atuar como goleiro. 

ARTIGO 23º: A equipe que se recusar a dar continuidade à partida por mais de 05 minutos depois de advertida pelo árbitro, ainda que permaneça em campo, perderá os pontos para a equipe adversária.
CAPÍTULO VI DA PREMIAÇÃO
ARTIGO 24º: Ao término da competição serão entregues os seguintes prêmios para cada categoria:
A)    CAMPEÃO: Troféu e R$ 400,00  (Quatrocentos Reais)
B)     VICE CAMPEÃO: Troféu e R$ 200,00 (Duzentos Reais)
C)     ARTILHEIRO: Troféu 
D)    GOLEIRO MENOS VAZADO: Troféu.

§ PRIMEIRO: Em caso de empate entre os artilheiros e/ou goleiros receberá a premiação o(s) atleta(s) em que sua equipe ficar melhor colocada na classificação geral da competição, Se forem da mesma equipe haverá um sorteio.
CAPÍTULO VII DO UNIFORME
ARTIGO 25º: Em caso de semelhança nas cores do uniforme a equipe colocada a direita da tabela deverá providenciar a troca pelo menos das camisas.

ARTIGO 26º: Em casos específicos o número do atleta poderá ser modificado em súmula.
A)    Camisa rasgada em disputa de bola;
B)     Goleiro contundido ou expulso e um atleta passar a ser o goleiro;
C)     Atleta com a camisa manchada de sangue. 
D)    Nos casos específicos o atleta poderá trocar de camisa até com o companheiro que se encontra no banco de reservas;
E)     Em quaisquer dos casos, o anotador colocará a observação na súmula do jogo apenas para controle organizacional, a equipe e o atleta não serão penalizados.
CAPÍTULO VIII DA ARBITRAGEM
ARTIGO 27º: Em cada partida será utilizada um trio de arbitragem que será escalada pela organização da Copa, não sendo aceito vetos ou outras indicações. 

ARTIGO 28º: Cada equipe deverá pagar antes de cada jogo a taxa de arbitragem no valor liquido de R$ 50,00 (Cinquenta Reais), o não pagamento do valor especificado acarretará em WXO.
CAPÍTULO IX DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS
ARTIGO 29º: Obrigatoriamente as categorias juvenil (série B) e titular (série A), devem atuar como marcado em tabela na 1ª fase, em caso de apenas uma das equipes (A ou B) estejam apta a atuar os jogos serão declarados como WxO para a agremiação irregular nas duas categorias.

ARTIGO 30º: Todos os componentes do banco de reservas obrigatoriamente deverão está relacionados em súmula. Quem não estiver inscrito não poderá ficar no banco.

ARTIGO 31º:  O número máximo de integrantes da comissão técnica em súmula serão de três (03), podendo ser de outro município, porém não podem atuar em mais de uma equipe durante a competição. A inscrição é única e cada integrante da comissão pode ser a mesma no Juvenil e Titular desde que seja da mesma agremiação. 

ARTIGO 32º:  Em ambas as categorias, cada equipe poderá fazer no máximo cinco substituições por jogo. 

ARTIGO 33º: Em caso da impossibilidade da continuidade ou a não realização de algum jogo, a tabela seguirá o curso normal com a organização tendo autonomia para marcar uma nova data e horário que favoreça o bom andamento da competição. Se por algum motivo alguma rodada venha a ser adiada a organização do evento tem autonomia para fazer as alterações necessárias para o melhor andamento do certame.

ARTIGO 34º: A prática da agressão física contra qualquer pessoa (atleta, torcedor, árbitro, comissão organizadora...) é passível de eliminação da competição. O infrator será julgado de acordo com os Artigos do CBJD.

ARTIGO 35º: Cada equipe deverá levar uma bola para aquecimento e que ficará disponível para a organização utilizar no jogo. (A organização terá duas bolas disponíveis).

ARTIGO 36º: Quadro clínico ou médico de atletas, membros de comissões técnicas, árbitros é de responsabilidade individual de cada um, não impondo á organização quaisquer obrigações por danos ou problemas nesse sentido.

ARTIGO 37º: Caso uma equipe sinta-se prejudicada nos seus direitos e pretenda protestar, deverá fazer até 24 horas após o término do jogo, através de ofício digitado e dirigido a secretaria de esporte, assinado pelo presidente da equipe juntamente com o pagamento no valor de R$ 100,00 (Cem Reais).

ARTIGO 38º: Os participantes da Copa Tangará ao serem inscritos na ficha da competição autorizam a veiculação e divulgação da sua imagem nas redes sociais e nas mídias que divulgarão a competição.

ARTIGO 39º: Os casos omissos ou não presentes no presente regulamento, serão resolvidos pela comissão da Copa Tangará de Futebol.

Tangará-RN, 01 de dezembro de 2016.

_______________________________________________


Lula Silva - Organizador

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEI TANGARÁ DISPUTARÁ A TAÇA TALISMÃ SUB-17

A escolinha SEI Tangará mesmo com as atividades paralisadas no momento devido o estádio Aprijão está fechado, segue tentando deixar os...