quinta-feira, 8 de setembro de 2011

FLUMINENSE DIZ QUE AJUDA SUPER-ÉZIO NO QUE FOR PRECISO


Vice de marketing do Tricolor, Idel Halfen confirma que já entrou em contato com a família do ex-atacante, nono maior artilheiro da história do Tricolor

Por GLOBOESPORTE.COMRio de Janeiro
Ezio, ex-jogador do Fluminense (Foto: Globoesporte.com)Ézio: doença diagnosticada em outubro do ano
passado (Foto: Globoesporte.com)
O ex-atacante Ézio, que defendeu o Fluminense entre 1991 e 1995, está com câncer, segundo o site NETFLU. O ex-jogador tem dois tumores: um no pâncreas e outro no fígado. A doença foi descoberta em outubro do ano passado e já despertou a solidariedade dos torcedores na rede sociais, com a hashtag #ForçaSuperÉzio. Em quatro anos nas Laranjeiras, o ex-jogador ganhou fama por marcar gols sobre o rival Flamengo. Foram 13 em 20 clássicos. Ao todo, ele vestiu a camisa do clube das Laranjeiras em 236 partidas e anotou 119 gols, número que lhe rendeu o posto de 9º maior artilheiro da história do atual campeão brasileiro.
- Ele está com câncer e não queria que a doença fosse divulgada no início. Está em tratamento, emagreceu, mas não está fazendo quimioterapia. Está tomando um remédio porque o tratamento através da quimioterapia não combate os tumores que ele tem. Descobrimos em outubro do ano passado. Agora que ele está começando a aceitar. Está assimilando melhor. Ninguém do clube sabia até então, mas já nos procuraram, falaram que estão à disposição para qualquer coisa. Não temos nada a falar do Fluminense. Foram bem simpáticos, solícitos - disse Isabela, mulher de Ézio, ao NETFLU.
Vice-presidente de marketing do Tricolor, Idel Halfen confirmou o contato e garantiu que o clube está ponto para ajudar no que for preciso.
- Procuramos a família e nos colocamos à disposição para ajudar. Mas até essa declaração dela era tudo feito em sigilo. O Fluminense entende que seu papel é ajudar e não divulgar o que está acontecendo. As pessoas precisam parar de confundir marketing com divulgação. Vamos sempre defender os valores das pessoas que fizeram parte da história tricolor. Vamos auxilar o Ézio com o que estiver ao nosso alcance. Inicialmente, a família disse que não precisava de nada. Estamos sempre atentos a casos como esses e dispostos a ajudar nossos ex-jogadores. Só gostaria de deixar bem clara essa distorção. Marketing tem seu lado de divulgação, mas está longe de ser só isso. A saúde e o bem-estar de um atleta estão acima de qualquer interesse. Vamos ajudar, mas nem sempre divulgar. A decisão de expor o caso foi da família - explicou ao GLOBOESPORTE.COM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário