Damião passeia contra ex-zagueiro do Barça, e Inter leva bi da Recopa


Internacional conquista Recopa Sul-Americana ao vencer Independiente (ARG) por 3 a 1 nesta quarta-feira, no Estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Foto: EFE
Inter fez 3 a 1 no Independiente e conquistou a Recopa pela 2ª vez
Foto: EFE

Leandro Damião não tomou conhecimento do currículo de Gabriel Milito, que por duas vezes conquistou a Liga dos Campeões da Europa pelo Barcelona e recentemente se transferiu para o Independiente. Nesta quarta-feira, o camisa 9 do Inter deu show diante do argentino, marcou duas vezes e ajudou o Internacional a vencer o Independiente por 3 a 1 no Beira-Rio e a conquistar o segundo título do clube na Recopa Sul-Americana.
A vantagem do Independiente conquistada na partida de ida, quando venceu em Avellaneda por 2 a 1, caiu em poucos minutos em Porto Alegre. Milito, que recentemente deixou o Barcelona e chegou com pompa ao Independiente, não fez nada nesta quarta que justificasse o currículo vitorioso.
No lance do primeiro gol, o camisa 18 do Independiente foi facilmente driblado por Damião no aos 19min de jogo e, cinco minutos depois, foi vencido no alto pelo camisa 9, que ficou livre para anotar o segundo gol colorado. Kléber, de pênalti, fez o gol do título aos 38min do segundo tempo, enquanto o lateral Maximiliano Velázquez havia descontado para os argentinos aos 3min da etapa final.
O triunfo nesta quarta-feira representou o segundo título do Inter na Recopa Sul-Americana, em três finais disputadas. Campeão em 2007 sobre o Pachuca, do México, a equipe colorada havia sido vice há dois anos, quando disputou o título com a LDU, do Equador, e acabou derrotada nas duas partidas.
Este foi, aliás, o sétimo título internacional do clube gaúcho, um dos principais sul-americanos nos últimos cinco anos. Além das duas Recopas, foram duas Libertadores (2006 e 2010), um Mundial de Clubes (2006), uma Sul-Americana (2007) e uma Copa Suruga (2009). Em comparação, o Independiente, um dos times mais copeiros da América do Sul, possui 16 conquistas internacionais, sendo sete só na Libertadores.
Para conseguir a primeira conquista sob o comando do recém-contratado Dorival Júnior, o Inter tratou de pressionar o Independiente. O argentino D'Alessandro quase marcou aos 4min, quando finalizou sem ângulo e acertou o travessão do goleiro Hilario Navarro. O clube gaúcho seguiu ofensivo nos minutos seguintes, mas não conseguia criar jogadas perigosas.
Damião, então, resolveu arriscar uma jogada individual e marcou um golaço para o Inter aos 19min. Do lado direito do ataque colorado, o camisa 9 deu um drible desconcertante em Milito e, mesmo com pouca visão do gol, deu chutou rasteiro de bico. Navarro falhou, e o Inter saiu na frente do placar.
A torcida colorada inflamou com o gol do centroavante, que deixou sua marca novamente depois de uma sucessão de falhas da defesa do Independiente. Depois de um chutão para frente do goleiro Muriel, Dellatorre atrapalhou um dos zagueiros do Independiente e Damião protegeu bem de Milito. O defensor ex-Barcelona ficou caído, e o camisa 9, sozinho para fuzilar Navarro.
Damião, que levava a melhor em todas as disputas contra Milito, quase marcou o terceiro para os brasileiros aos 34min: o defensor errou feio em uma bola no meio de campo e o camisa 9 disparou em contra-ataque antes de chutar forte, para fora. O gol perdido fez falta no início do segundo tempo, quando o Inter voltou sonolento e acordou da pior maneira possível: o meia Ferreyra deu bom passe para o lateral Maximiliano Velázquez bater firme e descontar para o Independiente logo aos 3min.
O Independiente quase alcançou o empate que lhe daria o título pouco depois, aos 11min, quando Marco Pérez recebeu cruzamento com liberdade e bateu forte. A trave salvou o time brasileiro, que acordou na segunda etapa e voltou a insistir no ataque, especialmente sobre as falhas de Milito.
O gol do título, porém, só saiu aos 38min do segundo tempo. Jô, que havia entrado no segundo tempo no lugar do jovem Dellatorre, foi derrubado na área pelo goleiro do Indpendiente e o árbitro uruguaio Jorge Larrionda assinalou pênalti. Na cobrança, o lateral Kléber cobrou bem, deslocou Navarro e assinalou o terceiro gol brasileiro, fechando a contagem no Beira-Rio.
A torcida colorada reiniciou a festa, temporariamente suspensa quando o Independiente descontou, e comemorou o título da Recopa. Quando terminarem os festejos do título, o Inter iniciará a preparação para o clássico Gre-Nal de domingo, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, na casa do Grêmio.
INTERNACIONAL 3 x 1 INDEPENDIENTE
Gols INTERNACIONAL: Leandro Damião, aos 19min e aos 24min do 1º tempo; Kléber, aos 38min do 2ºINDEPENDIENTE: 
Maximiliano Velázquez, aos 3min do 2º tempo
INTERNACIONAL: Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Elton, Guiñazú, D'Alessandro (Andrezinho) e Oscar; Dellatorre (Jô) e Leandro Damião. Técnico: Dorival Júnior.
INDEPENDIENTE: Hilario Navarro; Eduardo Tuzzio, Julián Velázquez, Gabriel Milito e Maximiliano Velázquesz; Hernán Fredes (Matías Defederico), Cristian Pellerano, Ivan Pérez (José Vélez) e Osmar Ferreyra (Leonel Núñez); Marco Pérez e Facundo Marra. Técnicio: Antonio Mohamed.
Cartões amarelos 
INDEPENDIENTE: Tuzzio, Maximiliano Velázquez, Hernán Fredes e Osmar Ferreyra
Renda/público:
39.069 pagantes/ R$ 1.254.240,00
Árbitro 
Jorge Larrionda (URU)
Local 
Estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
por terra esportes

Comentários